AMRIGS - Associação Médica do Rio Grande do Sul
    
 
Área do Associado



 


 

Falando sobre depressão sem preconceito - Dr. Jair Escobar


 
Considero importantíssima a iniciativa da Organização Mundial da Saúde (OMS) em estabelecer a depressão como tema de sua campanha para o Dia Mundial da Saúde de 2017, celebrado em 7 de abril. É uma doença que precisa, cada vez mais, ser tratada sem nenhum tipo de preconceito. Por isso o lema "Depressão: vamos conversar". 

O Brasil apresenta a maior taxa de depressão da América Latina, de acordo com estudo da OMS de 2005 a 2015. Cerca de 6% dos brasileiros são afetados pela doença e estima-se que 20 a 25% da população do país teve, têm ou terá um quadro de depressão em algum momento da sua vida. 

O grande sofrimento físico e mental que a depressão causa poderá transformá-la, muito em breve, na doença mais incapacitante do mundo, o que reforça a necessidade de colocá-la como prioridade da lista de preocupações das políticas públicas de saúde. Uma pessoa deprimida acaba por ter várias funções avariadas, afetando, de forma negativa, seu humor, segurança, vaidade e força de vontade. Tudo contribui para gerar graves prejuízos para sua vida pessoal e profissional. 

A estigmatização da doença, ao longo dos tempos, transformou-se em um entrave para que o enfermo busque o tratamento adequado e consiga enfrentá-la. É fundamental que esse processo seja revertido, uma vez que a depressão pode ser tratada de maneira eficaz. 

Como muito bem explica a OMS na campanha do Dia Mundial da Saúde 2017, a depressão pode afetar a capacidade das pessoas para realizar até mesmo simples tarefas cotidianas, interferindo nas relações familiares, de amizade, e nas atividades profissionais. Além disso, no pior cenário, o transtorno pode levar ao suicídio, que, ainda de acordo com a OMS, atualmente é a segunda causa de morte entre jovens de 15 a 29 de idade. 

Desta forma, conversar sobre a depressão sem preconceito é uma ação benéfica e que contribui para que os doentes e seus familiares não adiem a busca por ajuda. Pedir apoio pode ser a chave para se recuperar da doença e voltar a ter uma vida normal.

Jair Rodrigues Escobar 
Médico Psiquiatra
Vice-presidente da AMRIGS




 
ARTIGOS

Conscientização e prevenção sobre a Doença Falciforme
Dr. Alfredo Floro Cantalice Neto
Em defesa do plano de carreira no setor público
Dr. Alfredo Floro Cantalice Neto
Falando sobre depressão sem preconceito
Dr. Jair Escobar
Ver Todas
JORNAL AMRIGS

Ver Todas
REVISTA DA AMRIGS

Ver Todas
AMRIGS NA MIDIA

Ver Todas